Superfaturamento na saúde não pode virar uma epidemia no Brasil.

Superfaturamento na saúde não pode virar uma epidemia no Brasil.

jun 11, 2020 0 Por heliodefaria

Durante esses últimos 10 dias, estamos vendo com frequência na mídia nacional ações da Polícia Federal e Polícia Civil nos estados, com busca e apreensão em residências de governadores, secretários e funcionários envolvidos em licitações sob suspeição de superfaturamento na compra de aparelhos respiratórios, equipamentos de EPIs, contratação de pessoal e medicamentos. Com a dispensa de licitação, necessária nesse momento de pandemia, os detentores de cargos do Poder Executivo aproveitam para botar a mão no erário. Não são todos, é verdade. Mas as facilidades permitem que se locupletem com dinheiro para interesse pessoal ou para fazer caixa de campanha. É o caso dos que são candidatos à reeleição e que estão em busca de mais um mandato. E não precisa ser vidente para adivinhar que essas operações vão chegar ao interior do país. Temos mais de 5,5 mil municípios e as estatísticas fortalecem as nossas convicções, além, claro, da conduta de muitos que estão postas no cotidiano quando os assuntos são merenda e transporte escolar, medicamentos, pavimentação ou até mesmo livros didáticos. A verdade é que pensar duas vezes na hora de fazer a traquinagem é bom. Afinal, os carros pretos da Polícia Federal estão a postos pelo país afora. Não desejamos mal a ninguém, mas preservar o bem público é princípio administrativo

Jair Onofre