Queimada com ACM Neto, Dayane Pimentel pode perder comando do PSL na Bahia

O PSL na Bahia pode passar por grandes alterações nos próximos meses. A atual presidente da agremiação na Bahia, Dayane Pimentel (PSL), perdeu força e moral entre os correligionários após aparecer na propaganda eleitoral do candidato derrotado Zé Neto, do PT, no segundo turno da eleição em Feira de Santana (BA). Ela também vem colecionando inimizades desde a eleição de 2018, quando deixou de ouvir as bases e passou a comandar a sigla sozinha.

Nos bastidores, corre a informação de que o arranjo estaria sendo costurado pelo presidente nacional do DEM, ACM Neto. Elmar Nascimento (DEM), que também é cotado na corrida pela presidência da Câmara dos Deputados, assumiria a legenda. Procurado pela reportagem, o deputado, todavia, negou o rumor.

Dayane também teve uma votação pífia no primeiro turno como candidata em Feira e também não conseguiu eleger o próprio marido, Alberto Pimentel, como vereador de Salvador (mesmo destinando uma gorda fatia do fundo partidário para ele).

Segundo fontes, a negativa de Pimentel em apoiar o prefeito reeleito Colbert Martins (MDB) pegou mal e ela perdeu muitos pontos com o atual chefe do Palácio Thomé de Souza. Em outras palavras, está queimada com Neto. Além disso, o rompimento dela com o clã Bolsonaro indica perda de uma boa base de eleitores, o que aponta para sérias dificuldades de reeleição em 2022. Com isso, o prefeito de Salvador vê uma boa oportunidade para emplacar nomes próprios dentro da agremiação.  

Além do desprestígio com Neto, Dayane também não é apoiada por dois deputados estaduais da legenda baiana, os parlamentares Talita Oliveira e Capitão Alden, que continuam bastante alinhados com o bolsonarismo. Corre à boca pequena que falta apenas um “sopro” mais forte para Dayane cair de vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *