A tradicional festa do Bembê do Mercado em Santo Amaro começa dia 13 de maio.

O Bembê do Mercado é uma manifestação cultural e religiosa que acontece desde o final do século XIX quando um grupo de negros, reuniram-se em praça pública para comemorar a Abolição da Escravatura em 13 de maio de 1888, no município de Santo Amaro da Purificação.  A celebração é realizada anualmente no dia 13 de maio, a festa nos dias de hoje abrange as aras políticas, culturais e sociais e é extremamente importantes para o povo de santo e os Santo-amarenses em geral. A festa teria sido iniciada por João de Obá em comemoração ao primeiro ano da Abolição da Escravatura. Ainda que as condições as quais os negros recém libertos encontravam-se após o processo de abolição fossem marcadas pela exclusão social, econômica, política e cultural, os relatos contam que pescadores e o povo de santo reuniram-se naquele 13 de maio de 1889, sob a liderança de João de Obá, e celebraram a data realizando o Candomblé de rua, o qual durou três dias.

No seu aspecto religioso, realizado no Largo do Mercado Municipal de Santo Amaro, se caracteriza como uma obrigação religiosa, destinada às divindades das Águas, (Oxum e Iemanjá) para agradecer e propiciar o bem-estar da coletividade, já que também é realizado para a proteção da cidade.

São três momentos cerimoniais do Bembé: os ritos ligados ao fundamento da festa (as cerimônias para os ancestrais, o Padê de Exu, o Orô de Iemanja e Oxum), o Xirê do Mercado e a entrega dos Presentes, na praia de Itapema, destinados a Iemanjá e a Oxum. Assim, a Rua, o Mar e o Mercado transformam-se em territorialidades expandidas do Candomblé. As celebrações inclui não apenas os rituais e cerimônias religiosas, mas também tornou uma festa com diversas apresentações culturais como o maculelê, a capoeira, o samba de roda, o negro fugido, entre outros.

Inicialmente a Festa começou na Ponte do Xaréu e mais tarde se transferiu para o Largo do Mercado Municipal. Os praticantes das religiões de Matrizes Africana liderado por diferentes personagens ao longo do tempo, expressou e segue expressando sua identidade, sua cosmologia, valores e símbolos, narrativas e percepções sobre sua própria existência tanto nas dimensões do “espiritual” quanto do “material”.

A festa Bembé do Mercado, foi registrada como Patrimônio Cultural do Brasil

O título foi concedido pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan),

Além de Patrimônio Cultural do Brasil, a celebração também é Patrimônio Imaterial da Bahia desde 2012.

Assim como no ano de 2020, devido a Pandemia por COVID 19, e seguindo as orientações das Organizações de Saúde, as celebrações ao publico estão suspensa, a parte religiosa esta sendo feita internamente. No largo do Mercado onde se realizaria os festejos, será erguido apenas um barracão simbólico, sendo no dia 13 a abertura oficial com o hasteamento da Bandeira (A Tempo) e o presente entregue nas aguas no dia 16 de maio. Também com restrições ao acompanhamento.

Geo Sampaio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.