Investigadores da PGR aceleram investigação sobre compra de respiradores

A Procuradoria-Geral da República (PGR) iniciou uma ofensiva acelerada sobre o caso dos respiradores comprados pelo Consórcio do Nordeste, que não foram entregues e geraram prejuízo de quase R$ 100 milhões aos cofres públicos.

Segundo a coluna Satélite, do jornal Correio, os investigadores se debruçaram sobre o assunto nos últimos dias e pretendem anunciar novidades em breve.

A pauta voltou a ter destaque nacional durante a CPI da Covid, no Congresso. Pelo menos três senadores defendem a convocação do secretário-geral do Consórcio, Carlos Garbas, para falar sobre o assunto.

Vale lembrar que pelo menos três inquéritos no Ministério Público Federal (MPF) apura compra de respiradores feita pelo Consórcio do Nordeste. Em um deles, a Polícia Federal atua como órgão auxiliar.

Vale lembrar também que, na época da compra dos respiradores, o governador Rui Costa (PT), da Bahia, era o presidente do Consórcio do Nordeste. O caso acabou culminando na queda de Bruno Dauster, braço-direito de Rui, do cargo de secretário da Casa Civil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.